O que é ser do Sul: "Três países com apenas algo em comum: o inverno"

PARANÁ

(Por Fabrício Carpinejar)

Paraná é verde, do equilíbrio, da serenidade. Uma bosque dentro de um globo de neve. Terra que se curte devagar, girando a paisagem.

Paraná se entremostra, não se expõe de modo direto, não cobra dez por cento. É self-service. O visitante enfrentará a missão de conhecer sozinho.

Não é aldeia da passeata, do sermão, da mobilização. Não se grita no Paraná, mas se ouve.

É a agricultura casada com o urbanismo. Por detrás da fachada do casarão, um prédio ultramoderno rege as nuvens.

Espaço com régua, simétrico, de copas domadas, de árvores datilografadas em duas vias.

Até as curvas são linhas retas. Geografia equilibrada, ordenada, perfeita a ponto do caminhante pensar que ele é o único erro. É tão organizada que divide os bairros por áreas de interesse.

Seus habitantes esnobam obediência ecológica. Não pisam na grama e nas certezas.

Estado amigável, dos instrumentos de sopro, não dos instrumentos de corda. Cheiroso como o banho da manhã, não cheiroso em demasia como o banho da noite.

Paraná é o medo da chuva. Todo mundo fica em casa quando chove. Só os motoboys circulam. Nada parece ser importante o suficiente para que os moradores possam sair de casa - só o sol, só a vitamina D. Ser caseiro em Curitiba é uma missão. Amigos se encontram se forçados por visita de família distante.

Paraná é um café forte sem açúcar, sem adoçante, sem enfeites.

As pessoas não vão rir à toa. Não é fácil furtar um riso.

Paraná oferece pistas para correr, mas todos andam devagar. As ruas usam roupas de grávida, largas e diagonais.

Os passantes esquadram o vazio, introvertidos. São funcionais, não perdem atenção com informações desnecessárias. Piada ao paranaense acontece após muita intimidade.

Quem escolhe residir ali é pela quietude do amor, não pela paixão escandalosa. Não se vende adesivo bairrista.

Curitiba é o coração da praticidade. De acordo com Cristovão Tezza, as obras na capital foram feitas para caber num selinho (Jardim Botânico, Ópera do Arame, Museu Niemeyer), envolvidas em estruturas metálicas e de vidro.

Paraná é uma correspondência aberta com o vapor. Para não estragar o envelope.

 

GALERIA DE IMAGENS

  • Distrito de Paiquerê - Londrina
    Cataratas do Iguaçu - Foz do Iguaçu
    Jardim Botânico - Curitiba
    São Jorge d'Oeste
    Museu Oscar Niemayer - Curitiba
    Distrito de Paiquerê - Londrina
    Distrito de Paiquerê - Londrina - Foto: Getty Imagens
    Distrito de Paiquerê - Londrina Foto: Getty Imagens
    Cataratas do Iguaçu - Foz do Iguaçu
    Cataratas do Iguaçu - Foz do Iguaçu - Foto: Getty Imagens
    Cataratas do Iguaçu - Foz do Iguaçu Foto: Getty Imagens
    Jardim Botânico - Curitiba
    Jardim Botânico - Curitiba - Foto: Getty Imagens
    Jardim Botânico - Curitiba Foto: Getty Imagens
    São Jorge d'Oeste
    São Jorge d'Oeste - Foto: Filipe Coimbra / Unsplash
    São Jorge d'Oeste Foto: Filipe Coimbra / Unsplash
    Museu Oscar Niemayer - Curitiba
    Museu Oscar Niemayer - Curitiba - Foto: Guilherme Stecanella / Unsplash
    Museu Oscar Niemayer - Curitiba Foto: Guilherme Stecanella / Unsplash